Número total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de março de 2012

Fóssil encontrado na Etiópia pode pertencer a ancestral desconhecido dos humanos Ossos de um pé encontrados na Etiópia mostram que espécie ainda desconhecida vivia em árvores


Um fóssil com idade entre 3 e 4 milhões de anos encontrado na Etiópia é um indício de uma nova espécie que viveu na mesma época de Lucy, o mais famoso dos ancetrais dos humanos. Os ossos encontrados são pedaços de um pé e mostram que essa raça extinta da família dos humanos, chamada hominis, vivia nas árvores.
O fóssil deve pôr fim a uma antiga discussão sobre a existência de apenas uma linha evolutiva de hominis, espécie mais próxima dos humanos que dos chimpanzés, entre 3 e 4 milhões de anos atrás. Até então, os registros fósseis eram limitados apenas à espécie Australopithecus afarensis, da qual Lucy.

Além disso, um estudo publicado nesta quarta-feira (29) na revista Nature mostra que os fósseis indicam um modo distinto de locomoção, classificado pelos pesquisadores como "equivocada". O pé é feito para se mover pelas árvores e nunca se adaptou à terra. Eles eram capazes de andar como bípedes, mas de maneira pouco eficiente. A espécie de Lucy se movia como bípede.
O paleoantropólogo Yohannes Haile-Selassie, do Museu de História Natural de Cleveland, em Ohio, Estados Unidos, diz que a espécie a que pertence o fóssil encontrado continua sem identificação, por falta de restos de crânio ou de arcadas dentárias associadas ao espécime. Eles afirmam que existem diversas semelhanças com uma o hominin Ardipithecus ramidus, apelidado Ardi, que viveu cerca de 4,4 milhões de anos atrás, na Etiópia. A diferença é um dedão semelhante ao de gorilas, usado para escalar árvores. 

Sem comentários:

Enviar um comentário