Número total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de março de 2012

Descoberto um asteróide que passará junto à Terra em 2013 As operações do La Sagra Sky Survey estão a cargo do Observatório Astronómico de Maiorca

Uma equipa de astrónomos da Agência Espacial Europeia (ESA) descobriu um asteróide que passará muito perto da Terra em 2013. Os especialistas prevêem que esta rocha espacial – baptizada de 2012 DA14 – de 50 metros de diâmetro se aproxime mais do nosso planeta do que muitos satélites, pelo que aumenta a necessidade de vigiar de forma sistemática os perigos que vêm de cima.

Devido ao seu pequeno tamanho e características da sua órbita, apenas pôde ser visto depois de ter passado pela Terra a sete vezes a distância da Lua. No entanto, as previsões actuais indicam que na sua próxima ronda pelo nosso planeta, a 15 de Fevereiro de 2013, passará apenas a 24000 quilómetros da Terra – mais perto do que muitos satélites comerciais.

"Esta distância é segura, mas será suficientemente perto para se conseguir observar o asteróide com binóculos normais", afirma Detlef Koschny, responsável pelo estudo de objectos próximos da Terra, do departamento da ESA Space Situational Awareness (SSA).


O objecto foi descoberto pelo observatório La Sagra Sky Survey, no sudeste de Espanha, perto de Granada, a uma altitude de 1700 metros, um dos locais com menos poluição luminosa nocturna do continente europeu.

"Considerando a sua trajectória no céu da manhã, o seu movimento angular bastante rápido, o seu brilho ténue e a sua órbita bastante acima do plano orbital da Terra, este asteróide era um alvo “escorregadio” – e facilmente poderia ter escapado sem ser detectado durante esta sua visita ao nosso planeta", diz Jaime Nomen, um dos descobridores.

A equipa usa vários telescópios automatizados para digitalizar o céu e a descoberta deu-se um pouco por acaso, depois de terem decidido observar áreas do céu onde os asteróides geralmente não são vistos. "Um cálculo preliminar mostra que o 2012 DA14 tem uma órbita muito parecida com a Terra com um período de 366,24 dias – apenas mais um dia que o nosso ano terrestre – e que “salta” dentro e fora da trajectória da Terra duas vezes por ano", continua ainda.

Embora durante a sua próxima visita esteja descartado um impacto com a Terra, os astrónomos irão usar a aproximação do asteróide para realizar mais estudos e calcular os efeitos gravitacionais exercidos pela Terra e pela Lua. "Estamos também muito interessados em observar a alteração da órbita do asteróide quando este passar próximo da Terra, a fim de calcular qualquer risco de impacto futuro", afirma Detlef.

As operações do La Sagra Sky Survey estão a cargo do Observatório Astronómico de Maiorca, que integrou recentemente o programa SSA da ESA. No futuro, o La Sagra enviará os resultados das suas observações ao centro de dados sobre asteróides que a ESA está a desenvolver.

Sem comentários:

Enviar um comentário