Número total de visualizações de página

terça-feira, 27 de março de 2012

As alterações climáticas aceleraram entre 2001 e 2010


A alteração climática acelerou durante a década de 2001-2010, um período marcado por chuvas, temperaturas extremas e inúmeros eventos meteorológicos extraordinários, de acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

Estas são algumas das conclusões preliminares do "Relatório da década 2001-2010 sobre o Clima Mundial", que a OMM divulgou. Segundo este documento, elaborado a partir da análise dos dados meteorológicos de 102 países durante esta década houve inundações em 63% dos países que participaram no estudo, enquanto em 43% registaram-se problemas de seca.
Em grande parte do hemisfério norte o volume de precipitações foi acima da média dos anos anteriores, especialmente a leste dos Estados Unidos, a norte e este do Canadá, Europa e Ásia Central, Colômbia, norte e sul do Brasil, Uruguai e norte da Argentina. Pelo contrário, no oeste dos Estados Unidos, sudoeste do Canadá, Alasca, sul e oeste da Europa, sul da Ásia, América Central, África Central e na zona da Amazónia a precipitação ficou abaixo da média.
Quanto a temperaturas, a década citada foi a mais quente desde que se dispõe de (1850), com temperaturas que se situaram em torno de 0,46 graus Celsius acima da média de temperaturas máximas que foram entre 1961 e 1990. Além disso, nove anos desta década estavam entre os 10 anos mais quentes desde 1850 e para 90% dos países estudados esta década foi a mais quente.
Os fenómenos meteorológicos extremos, como inundações, secas, ciclones e ondas de calor e frio, afetaram praticamente todas as regiões do planeta, embora o relatório reconheça duas ondas de calor "excepcionais" que passaram na Europa e Rússia nos verões de 2003 e 2010, respectivamente, e que resultaram em "milhares de mortes e incêndios."
O diretor da OMM, Michel Jarraud, expressou a sua satisfação pelo facto de que nos últimos 50 anos "melhorou a qualidade das previsões meteorológicas a longo prazo", mas lamentou que no mesmo período "tenham aumentado os fenómenos meteorológicos extremos.”

Sem comentários:

Enviar um comentário